Trauma e Desenvolvimento

Traumas de desenvolvimento são as redes básicas, matriciais, que estabelecem proteção (resiliência) ou vulnerabilidade para a fixação dos traumas de choque. O estresse físico e emocional das nossas experiências primordiais fica armazenado numa memória implícita, através de padrões específicos de emoções, comportamentos, movimentos e relacionamentos. Muitas vezes estes padrões se enredam em experiências traumáticas subseqüentes, requisitando um olhar mais sofisticado tanto para o uso das ferramentas somáticas, quanto para o manejo dos processos de transferência e contra-transferência terapêuticas.

Este workshop pretende oferecer recursos para o manejo clinico de traumas de desenvolvimento em adultos, bem como explorar a compreensão desenvolvimento da personalidade não apenas como uma obra que se restringe à primeira infância, mas que fazemos ao longo de toda a trajetória de vida, no processo que Jung denominou de INDIVIDUAÇÃO: tornar-se Si-mesmo, e ao mesmo tempo, a realização melhor e mais completa das qualidades coletivas do ser humano.

Conteúdo Programático:

Dia 1: Visão geral do ciclo de desenvolvimento da personalidade em 5 subfases, tendo como referencial teórico abordagens psicodinâmicas e neurobiologia do vínculo. 

Exploraremos padrões funcionais e disfuncionais típicos de personalidades estruturadas a partir de traumas pré/peri-natais (pré-egóicas, pré-simbólicas e pré-verbais), oferecendo recursos clínicos (treinos de habilidades, psicoeducação e relação) para restabelecer adaptabilidade às disfunções.

Dia 2: Sociabilidade e epigenética: compreenderemos como padrões de interação e vínculo são introjetados enquanto modelos internos de funcionamento. 

   Experimentaremos e refletiremos sobre estratégias para comportamentos (parentais e terapêuticos) consistentes na geração de modelos internos seguros e funcionais.  

Dia 3: Autonomia e comportamento exploratório: compreenderemos como o desenvolvimento motor precede e apoia o desenvolvimento cognitivo. Exploraremos os impactos que traumas de vínculo exercem na aquisição das tarefas desenvolvimentais típicas de fases egóicas do desenvolvimento da personalidade, e os recursos clínicos relacionais e somáticos para reparações.

Dia 4: Diferenças sexuais, cerebrais e comportamentais: refletiremos sobre o processo de construção da identidade de gênero sob um dinamismo corporal. 

Exploraremos as relações estabelecidas entre esta fase de desenvolvimento e a aquisição da Alteridade: uma função de relação com o diferente (em mim: o inconsciente; de mim: o outro).

  Compreenderemos o efeito das “Janelas de oportunidades/vulnerabilidades” na adolescência, como uma oportunidade de reedição dos padrões de personalidade estabelecidos no curso da infância.

 

Metodologia: teórico e prática, incluindo exercícios, vídeos e demonstrações. 

©️ Copyright - Liana Netto - Todos os direitos reservados